Posts Recentes
Posts Em Destaque

Leitinho materno e latinha gelada combinam? O que os estudos dizem sobre beber e mamar.

Se você gostava de uma cervejinha, ou uma tacinha de vinho antes de engravidar, deve estar aí morrendo de vontade de um drink, mas o bebê mama e num pode, né?

Vamos falar de amamentação real? Vamos falar do dia a dia da amamentação prolongada? Vamos de papo reto?


A mãe que bebia antes de engravidar, vai beber. Fato. Ninguém, ou quase ninguém, diz publicamente, mas os grupos de whatsapp, ahhh, esses são verdadeiros. Na real, até agora não conheci nenhuma mãe que amamentou bastaaante tempo e que não tenha bebido nadica, a não ser que ou já não bebesse, ou que aproveitou a deixa para não beber mais. Mas a maioria de nós, depois daquele dia estressante, ou daquele diz feliz, quer relaxar....



Então, a regra é mais ou menos assim: se você está sóbria o suficiente pra dirigir, está sóbria para amamentar. É claro que deve se evitar beber e amamentar, mas vamos a alguns dados:


* até 0,5g de álcool por kg de peso é relativamente seguro. Isso, numa mulher de 60 kg, significa 2 latinhas de cerveja (das gracas né, tipo 4,5% de álcool) ou uma taça de vinho;

* o pico de álcool no leite materno demora de meia hora a uma hora depois de ingerido;

* essa dose costuma ser eliminada em 2 horas. Isso significa que não precisa você ordenhar, da mesma forma que você não faz hemodiálise pra liberar essa quantidade de álcool, o próprio organismo "limpará" o sangue e o leite.



Ok, você já entendeu que não é o fim do mundo beber aquela budweiser geladinha, ainda mais se seu bebê fizer um intervalo de 2h entre a bebida e a mamada. Agora, vamos falar umas verdades inconvenientes:


* quando a mãe bebe, os bebês costumam mamar menos quantidade e não, o álcool não produz mais leite. Na real, alguns estudos demonstram um decréscimo de até 23% no volume de leite materno produzido (Mennella & Beauchamp 1991, 1993; Mennella 1997; 1999);

*consumo diário de álcool diminui o ganho de peso do bebê e pode até atrasar o desenvolvimento motor (Little et al 1989).



Então, se você é daquelas que bebe bem esporadicamente, não se mate de culpa. Maternar já é bem pesado e temos o direito de curtir a vida, e isso inclui um choppinho com as amigas ou o maridón/maridona ou a/o crush de vez em quando. Mas, se você tem problemas de alcoolismo, melhor não beber nadinha, pois o risco eleva, não só pela frequência, mas pela dificuldade em parar na primeira dose.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Imagem modificada de: http://wreckitpricha.blogspot.com.br/p/i-am-mother-who-was-drinking-wine-and.html

Fontes:

Mennella JA. The human infant’s suckling responses to the flavor of alcohol in mother’s milk. Alcoholism: Clinical and Experimental Research 1997;21:581-585.


Mennella JA. The transfer of alcohol to human milk: Sensory implications and effects on mother-infant interaction. In: Hannigan JH, Spear N, Spear L and Goodlett CR, eds. Alcohol and Alcoholism: Brain and Development . New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, Inc., 1999. pp. 177-198.


Mennella JA, Beauchamp GK. Beer, breast feeding and folklore. Developmental Psychobiology 1993;26: 459-466.


Little RE, Lambert MD, Worthington-Roberts B. Drinking and smoking at 3 months postpartum by lactation history. Paediatr Perinat Epidemiol. 1990 Jul;4(3):290-302.

Siga
Procurar por tags
Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2015 por Plantão Materno

Orgulhosamente criado com Olhar de Tandera

Seguir

Entre em contato para mais informações

  • Wix Facebook page

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 08:00 - 20:00

Sab - Dom: Plantão