Posts Recentes
Posts Em Destaque

A vida sexual da mulher lactante ou: por que o tesão sumiu?

Vamos falar de sexo e amamentação? Vamos! E, para ilustrar, vou contar algumas histórias que aconteceram com "amigas", rsrsrs..


(Peitos fartos, filhos fortes e... sexo na cabeça! Foto autorizada de Meia Luz Fotografia)


A primeira amiga, mãe solo e que sempre gostou de sexo, ficou 11 meses, 23 dias e 14h sem transar depois da separação definitiva com o pai da bebeia. Por que isso, meldels? Por um senso de fidelidade grande, uma esperança de voltarem, um tesão louco no ex e UM BAITA MEDO DE ESPIRRAR LEITE NUM DESCONHECIDO. Um dia, ela literalmente ligou o foda-se, ela precisava se reencontrar como mulher e pãns, liberou o corpinho. Para total assombro, não saiu leite, mas também foi meio estranho. Hoje em dia ela conta que, depois de desmamar, a sensibilidade nos seios ficou IN-CRÍ-VEL...


Outra amiga, noite dessas, tava num barzim depois de um dia longe do bebeio de 23 meses. peito cheio e tals. Ela encontrou o crush e passaram pras intimidades. Quando ele chegou no peito, perguntou se era silicone, e ela largou uma risada deliciosa e disse que não, que era leite. Ele duvidou, ela espirrou leite nele (sim, ela amam fazer isso nas pessoas, inclusive em mim, afff) e o cara.....

.

.

.

PIROU!

Daí, eu pedi para uma amigona escrever pra gente um pouco sobre sexualidade e amamentação. Espero que gostem!

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Olá, sou a Máy, Mãe, Fotógrafa, Bióloga, Lactante de uma criança com 2 anos e meio e... transo! Pasmem!

Mas nem sempre foi assim... e nem sempre é!


Até os nove meses do Gael, eu simplesmente não sentia desejo e o sexo era apenas UM de diversos desejos adormecidos. Eu estava muito cansada por não dormir, não aguentava mais cuidar de uma criança e da mesma rotina 24 horas, eu estava perdida de mim, tentando me encontrar entre a privação de sono, a tentativa do retorno ao trabalho e esse homem que eu amava muito.


Após os 9 meses do parto, natural, pélvico e sem laceração, minha vagina continuava seca e extremamente apertada. O sexo não era prazeroso, aliás, eu preferia qualquer coisa ao sexo. Meus seios, lotados de leite, estavam proibidos para o meu parceiro. Não queria que eles fossem manipulados com denotação sexual, sentia um misto de repulsa, nervoso, "sei lá que que é isso?". Pra mim era indiferente de qualquer maneira, já que antes eu não sentia absolutamente nada neles. Então, Peitos NÃO!


Menstruei quando Gael estava com 1 ano e 1 mês e posso afirmar que minha lubrificação melhorou, mesmo com pouca libido, mas eu ainda permanecia muito exausta de tudo, queria produzir mais, intelectualmente, já que sempre fui extremamente produtiva, queria passear, ver pessoas, não falar sobre bebê por um pouco de tempo ao menos e principalmente, dormir!


(Esse peito lindo tá cheio de leite... Foto autorizada de Meia Luz Fotografia)


Após liberar meus peitos durante o sexo percebi prazer e também que não tem problema! Não seremos castigadas no limbo, pois nosso corpo tem diversas funções e muitas delas estão atreladas. Tudo bem vazar, aliás, faz parte vazar. Meu marido chupar meu peito não significa que estou transando com meu filho!!! E se eu sentir prazer durante a amamentação faz parte, a amamentação foi feita pra isso, tudo muito bem calculado, como a natureza o é. Enquanto há prazer, há bebê sendo amamentado. Nota 1000 natureza, você é demais!


A amamentação, mais precisamente a prolactina, diminui a libido, por isso, conforme o bebê cresce e diminui as mamadas a libido começa a aumentar. O retorno da menstruação é um dos principais indícios de que a prolactina não está afetando tanto nosso desejo, obviamente, falando apenas da parte física, pois nunca podemos esquecer que somos o todo e, uma pessoa exausta não tem condições mentais ou físicas de fazer sexo, concordam?


Além de tudo isso, somos únicas, nossos corpos são únicos, por isso achei importante dar o meu relato enquanto mãe e mulher e agora, enquanto fotógrafa de famílias e também de erotismo, observando diversas clientes, também pude perceber que a libido pode ser afetada externamente, tanto pro bem, quanto pro mal e através das fotos, muitas mulheres se descobriram e puderam aumentar suas auto estimas, desligando um pouco aquele botão que nos imerge na maternidade e renascendo enquanto mulheres incríveis. Há outras formas também, claro, busquem as suas, se assim quiserem.


(Só de olhar já me deu um calor... Foto autorizada de Meia Luz Fotografia)


Chamo a maternidade de pílula do crescimento e auto descobrimento e essa pílula é a mais avassaladora de todas, daquelas que nos dopa e nos excita, que nos faz perceber uma bipolaridade alucinadora e quando nos permitimos sentir todos esses sentimentos e aprender com eles, ficamos mais ferozes.


Com a amamentação nos doamos demais, mas o que descobrimos de nós e da nossa sexualidade, é espetacular!


Vai passar... Aproveite!


(Maíra Suarez, Fotógrafa de famílias na empresa Maíra Suarez Fotografia, Fotógrafa de erotismo na empresa Meia Luz Fotografia e Mãe na Máyternagem)


----------------------------------------------------------------------------------------------------------


Bom, preciso contar que quando a alemoa tinha 22 meses, e eu amamentava, posei pras lentes da Maíra e foi incrível, ali comecei a re-despertar minha sexualidade. Pelamordadeusa, não deixem de entrar no site dela e curtir o https://www.facebook.com/meialuzfotografia


E contem pra gente como anda a sexualidade e quais as dicas para lidar com os peitos lactantes!


Beijos,

Cris & Mày

Siga
Procurar por tags
Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2015 por Plantão Materno

Orgulhosamente criado com Olhar de Tandera

Seguir

Entre em contato para mais informações

  • Wix Facebook page

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 08:00 - 20:00

Sab - Dom: Plantão